RESUMO DOS LIVROS DO ANTIGO TESTAMENTO
Sex, 30 de Maio de 2008 14:13

 

 PENTATEUCO: O livro do Gênesis narra as origens do homem e do mundo criados por Deus, e apresenta´nos a maravilhosa história dos Patriarcas: Abraão, Isac e Jacó. A mensagem deste livro é importantíssima.
O livro do Êxodo narra a ida do povo de Israel para o Egito e a escravidão ali sofrida. Deus chama Moisés e através dele tira o povo do Egito milagrosamente; em seguida estabelece uma Aliança com Moisés e dá ao Povo os seus Mandamentos, leis, preceitos, ritos e cultos.

O livro do Levítico narra as Leis dos rituais, as leis sociais, as prescrições, as bênçãos e maldições, os sacrifícios oferecidos a Deus (holocaustos, oblações, sacrifícios pacíficos, sacrifícios de expiação). Era o livro dos levitas ou sacerdotes do povo. São as leis relativas ao culto e à santidade do povo.

O livro dos Números fala do recenseamento do povo feito por Moisés no deserto e apresenta as listas de nomes e números. Contém ainda outras leis misturadas com a narrativa da caminhada até as margens do rio Jordão.
 O livro do Deuteronômio (que quer dizer segunda lei), consta de cinco sermões de Moisés que recapitulam a Lei e narra o fim da vida de Moisés.

 OS LIVROSS HISTÓRICOS: O livro de Josué narra a árdua missão de Josué, indicado por Deus a Moisés para ser o seu sucessor e introduzir o povo na Terra prometida, fazendo o povo viver as leis que Deus deu a Moisés, distribuindo a terra entre as tribos de Israel e lutando contra os cananeus. Mostra a fidelidade
   O livro dos Juízes narra as suas histórias desde a morte de Josué até Samuel. Josué ao morrer não deixou sucessor. Os 21 capítulos de Juízes cobrem um período de quase 200 anos (1250 a 1050), da morte de Josué até o primeiro rei de Israel, Saul. de Deus às suas promessas feitas ao povo. É uma continuação lógica do Pentateuco.
 O livro de Rute é posterior ao exílio na Babilônia (587 ´
537 AC). Conta a bela história de Rute, a moabita que desposou Booz, israelita, e dos quais nasceu Obed, o pai de Jessé, que foi o pai do rei Davi.
 Os livros de Samuel foram escritos após o ano 622AC, e narram as histórias de Samuel, o último dos Juízes, do rei Saul e do rei Davi. Continuam as narrações contidas nos livros dos Juízes e cobrem um período da história de Israel de
1050 a
970 aC. Samuel, o último dos juízes foi incumbido por Deus para sagrar o primeiro rei de Israel, Saul.
 Os livros dos Reis narram a história dos reis de Israel, Saul, Davi, Salomão, etc. , e vai até o exílio do ano 587aC quando aconteceu o exílio para a Babilônia. O livro conta a história dos dois reinos de Israel separados e rivais. Apresenta os doze reis de Judá, todos da descendência de Davi; e os dezenove reis da Samaria, pertencentes a nove dinastias diferentes, perdendo, então, a descendência de Davi.

Os dois livros das Crônicas I e II(ou Paralipômenos = as coisas omitidas) formam com os livros de Esdras e Neemias um bloco homogêneo chamado de obra do Cronista. Narram as histórias de Israel, repetindo ou completando o que já foi narrado em Samuel e Reis. Na verdade, reapresenta a história narrada em Samuel e Reis, mas com uma perspectiva ainda mais religiosa. Trazem uma tabela genealógica desde Adão até Davi; a história do rei Davi, de Salomão e dos reis de Judá, e procura dar um significado teológico aos acontecimentos narrados.

O livro de Esdras (sacerdote) e Neemias (governador) são do mesmo autor das Crônicas e contam as histórias desses personagens importantes que restabeleceram a restauração religiosa e moral de Israel após o exílio da Babilônia.

Os livros de Tobias, Judite e Ester ´ são livros escritos no gênero literário chamado de midraxe, que é a narração de um fato histórico com ênfase religiosa, isto é, na ação de Deus que age em defesa dos fiéis, realçando os aspectos edificantes e moralizantes dos fatos narrados, com o intuito de formar os leitores.

Os livros dos Macabeus contam a história do povo Judeu no tempo da opressão dos sírios, especialmente pelo rei Antíoco IV Epífanes (175 ´163), que queria obrigar o povo a praticar as leis pagãs e rejeitar a lei de Deus.

Os livros sapienciais - Há 7 livros na Bíblia que são chamados de Sapienciais, isto é, que falam da sabedoria de Deus: Jô, Salmos, provérbios, Eclesiastes, Cânticos, Sabedoria, Eclesiastico.
 
LIVROS PROFÉTICOS PROFETAS MAIORES
 

O livro de Isaias - Isaias não foi o único autor de todo o livro. Este está dividido em três partes: Isaias I (capítulos 1-39) é do tempo do profeta; Isaias II (40-55) é da época do exílio da Babilônia (587´638aC) e Isaias III (56-66) foi escrito após o exílio na época da restauração do povo na sua terra.
O livro de Jeremias - O profeta viveu de
650 a 567aC, nasceu perto de Jerusalém. O reino de Judá estava cada vez mais ameaçado pelos adversários, e o profeta anunciou a ruína da Cidade Santa e do Templo, por isso foi condenado à morte pelos sacerdotes e falsos profetas, mas escapou da morte.

O livro das Lamentações - é uma coleção de cinco cânticos que choram a queda da Cidade Santa de Jerusalém ocorrida e 587aC. Reconhece a culpa do povo por causa dos seus pecados e o convoca à penitência e à oração.

O livro de Baruc - Baruc foi conselheiro e secretário (amanuense) de Jeremias. Acompanhou-o ao Egito após a queda de Jerusalém em 587aC; o autor trata do povo no exílio da Babilônia e exorta´o para que não caia na idolatria dos babilônios, viva a lei de Moisés e não desanime.

O livro de Ezequiel - O profeta Ezequiel (= Deus dá força), era sacerdote, casado, e perdeu a esposa um pouco antes da queda de Jerusalém em 587aC. Segundo uma tradição judaica morreu apedrejado pelos judeus. Acompanhou o povo de Judá na fase mais crítica da sua história, quando Jerusalém caiu sob Nabucodonosor.

O livro de Daniel - O profeta Daniel (=Deus é meu juíz), é o principal personagem do Livro. Os capítulos de
1 a 6 formam um núcleo histórico e contam a história do profeta.
 
PROFETAS MENORES
Os profetas menores, em número de 12, são chamados menores porque nos deixaram escritos pequenos, que já no século II antes de Cristo eram colecionados em um só volume (rolo).
 
Amós era natural de Técua (Judá). Pastor de gado e cultivador de sicômoros.
 Oséias mostra as relações de Javé com o povo judeu simbolizadas pelo casamento do profeta, que se casa com uma mulher leviana (Gomer), que o engana; mas que cai na escravidão; é, então resgatada pelo profeta que a recebe de novo como esposa.
 Miquéias  profetizou sob Joatã, Acaz e Ezequias, reis de Judá (740´690 aC).
 Sofonias exerceu seu ministério sob o piedoso rei Josias (640´609 aC), que fez uma forte reforma religiosa em 622.
 Naum  trata somente da queda de Nínive, capital do império Assírio, que ameaçava os povos vizinhos e Judá. 
Habacuc trata do tema “por que o ímpio prevalece sobre o justo e o oprime?”.
 Ageu dá início ao último período dos profetas, após o exílio. A tônica é a Restauração. Ageu acompanha o povo na volta da Babilônia.
 Zacarias se refere a oito visões que tratam da restauração e da salvação de Israel. Seguem os oráculos messiânicos.
Malaquias significa “meu mensageiro”. Dois grandes temas são abordados pelo profeta: as faltas dos sacerdotes e dos fiéis na celebração do culto; e o escândalo dos matrimônios mistos e dos divórcios.
 Abdias é o menor dos livros proféticos, e de difícil entendimento.
 Joel foi escrito após o exílio. É um compêndio da escatologia judaica. Descreve o Dia do Senhor, caracterizado pela efusão do Espírito Santo, o juízo sobre as nações e a restauração messiânica do povo eleito.
 Jonas é diferente de todos os outros livros proféticos. Narra a história de um profeta, Jonas, que recusou a ordem do Senhor para que fosse pregar aos ninivitas. É uma narração didática, parabólica, não histórica, para mostrar aos judeus, muito nacionalistas, que a salvação é universal.