Home Escola da Fé Catequese O PRIMEIRO PAPA
O PRIMEIRO PAPA
Ter, 04 de Março de 2008 06:52

    São Pedro foi o primeiro Papa porque:
     — Foi sobre Pedro que Jesus fundou sua única Igreja (Mt 16,18).
     — Foi a Pedro que Jesus mandou confirmar os irmãos na Fé (Lc 22,32).
     — Foi a Pedro que Jesus confiou seu rebanho quando disse: “Apascenta meus cordeiros... Apascenta minhas ovelhas...” (Jo 21,15ss.).
     — Foi Pedro quem, no dia da descida do Espírito Santo, falou ao povo reunido na praça (At 2,14).
     — Foi Pedro quem presidiu o primeiro Concílio Ecumênico (At 1,15).
     — Pedro morou e morreu em Roma. Está sepultado na cripta da basílica de São Pedro em Roma. Isso se prova pela História e pela Arqueologia.
     — Quando os Evangelhos citam os Apóstolos, São Pedro é nomeado sempre em primeiro lugar (Mt 10,2). Não é simples coincidência.

O Papa é nosso Pastor?

     O II Concílio Vaticano responde: “O Papa, Bispo de Roma e sucessor de São Pedro, é o perpétuo e visível princípio e fundamento da unidade, quer dos bispos, quer da multidão dos fiéis” (Lumen Gentium).
     — A pedra fundamental, divina e invisível da Igreja é Jesus Cristo. A pedra humana e visível é o Papa.
     — Papa quer dizer Pai. Como Pai ele quer bem não somente aos cristãos, mas a toda a humanidade.
     — O Papa é Pastor da Igreja. Está pronto a dar a própria vida pelas suas ovelhas, como fez Jesus.
     — É Servidor do Povo de Deus. Prefere ser chamado “servo dos servos de Deus”.

265 Papas na Igreja

     Desde São Pedro até hoje tivemos 265 Papas. São 265 elos de uma corrente ininterrupta que vai-se formando há quase dois mil anos. O primeiro elo dessa corrente liga-se com Jesus Cristo que escolheu pessoalmente seu primeiro sucessor.
     Muitos Papas morreram mártires. Muitíssimos foram canonizados e são venerados como santos. Grande número deles saiu de família humilde ou pobre.
     O Papa atual, Bento XVI, natural da Baviera. Já pubblicou várias encíclicas: Sobre a Caridade, a Esperança. Está preparando uma sobre problemas sociais. Tem visitado vários paises, inclusive o Brasil. Nessa oportunidade canonizou Santo Antonio Maria Galvao o primeiro santo genuinamente brasileiro.

O que falta é sabão

     O missionário havia falado, e muito bem, sobre a Igreja. Mas um homem observou ironicamente:
     — Tudo muito bonito. Mas eu sei de tanta sujeira nessa Igreja.
     Enquanto o homem ia enumerando os abusos, inventados ou aumentados, o padre observava a camisa dele, bastante suja. E com a mesma sem-cerimônia do interlocutor, perguntou:
     — Desculpe a minha liberdade. Isso é falta de sabão ou defeito de fábrica?
     — É falta de sabão mesmo.
      — Assim é também na nossa Igreja. Se existe tanta sujeira, descontando os exageros do amigo, a culpa não é da Igreja, mas dos maus cristãos. Ela tem bons tipos de sabão: Sacramentos, comunidade, oração etc. Se usássemos melhor esses recursos, tudo seria melhor. A Igreja teria filhos mais limpos. A Igreja seria mais limpa.